Pesquisar no Google:

Pesquisa Personalizada

Estude a Palavra de Deus Agora!

Estude a Palavra de Deus Agora!
Cursos e Estudos Bíblicos Gratuítos
Pesquisa personalizada

Postagens Populares:

Pesquisar no Blog:

terça-feira, 31 de maio de 2005

DIA MUNDIAL SEM TABACO...

Dia 31 de Maio- O DIA MUNDIAL SEM TABACO
O que é o Dia Mundial sem Tabaco?

Os Estados Membros da Organização Mundial da Saúde (OMS) criaram o Dia Mundial sem Tabaco em 1987 para atrair a atenção do mundo sobre a epidemia do tabagismo e sobre as doenças e mortes evitáveis a ele relacionadas.
Em 1988, a Assembléia Mundial de Saúde aprovou a resolução WHA42.19, determinando que a celebração do Dia Mundial sem Tabaco acontecesse, a cada ano, no dia 31 de maio. Desde então, anualmente, a OMS articula em todo o mundo a comemoração da data, definindo um tema correlato ao tabagismo, a ser abordado pelos 192 países membros. A finalidade é evidenciar as várias interfaces ou problemáticas do consumo de tabaco e, assim, engajar diferentes atores sociais no controle do tabagismo.
Para esse fim, são abordados diversos aspectos do tabagismo como os riscos para a saúde dos fumantes, dos não fumantes, a cessação do tabagismo, prejuízos para o meio ambiente, para a economia e demais áreas da vida social. Dessa forma, todos os Estados Membros da OMS desenvolvem atividades no mesmo período, abordando o mesmo tema, e fortalecendo, assim, a mensagem da OMS em todo o mundo – a necessidade do controle do tabagismo. Cada país adapta o tema escolhido pela OMS à sua realidade sócio-econômica e cultural, desde que focando sempre o tema central.

Este ano, o tema proposto pela OMS e divulgado pelo Ministério da Saúde em todo o Brasil é Profissionais de Saúde no Controle do Tabaco. O objetivo é mobilizar os profissionais de saúde para que fortaleçam a sua participação social no controle do tabagismo.
Como formadores de opinião com forte impacto no comportamento das pessoas, os profissionais de saúde podem ser aliados muito importantes na promoção da saúde, ao adotarem na sua rotina o aconselhamento aos pacientes fumantes e não fumantes sobre os malefícios do tabagismo.

31 de maio: Dia Mundial sem Tabaco
Fonte: Jornal do Estado / Paraná
Data: 24.05.2005

O tabaco é responsável, em média, por 50 doenças diferentes e mata 200 mil brasileiros por ano segundo informações do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Para atrair a atenção da população sobre esses dados alarmantes, a Organização Mundial da Saúde criou em 1987, o Dia Mundial sem Tabaco, comemorado em 31 de maio. A conscientização dos médicos e outros profissionais de saúde é o principal objetivo da campanha deste ano, com o tema Profissionais de Saúde no Controle do Tabaco. Das doenças, causadas pelo fumo, as que mais matam são ainda os cânceres de pulmão e complicações cardíacas. Mas, um dos problemas que está avançando são as doenças cerebrovasculares que já matam 25% dos fumantes. Os fumantes também são mais passíveis de ter algum tipo de demência.
Como Deixar de Fumar em Sete Dias:
Se você é fumante e deseja deixar de fumar, ou conhece alguém que fuma e deseja ajudá-lo (a) a parar; entre em contato conosco pelo fone (47) 91083954 ou pelo e-mail desta página e saiba como é possível deixar de fumar em sete dias por meio das orientações contidas no livro: "O QUE VOCÊ PRECISA SABER E FAZER PARA DEIXAR DE FUMAR - Uma fórmula eficaz para se livrar do vício". Autor: Jorge Schemes.

terça-feira, 24 de maio de 2005

SÓCRATES...

“Sou o maior sábio vivo, porque só sei uma coisa: que nada sei. O verdadeiro conhecimento consiste em saber que você nada sabe. Uma vida irrefletida não vale a pena ser vivida. A virtude não vem da riqueza, mas a riqueza e todos as coisas boas que os homens possuem vêm da virtude. A inveja é o câncer da alma. A vida do homem é como uma gota que cai em uma folha. Aquele que quer mudar o mundo deve primeiro mudar a si mesmo. Eu, não posso ensinar nada a ninguém. Eu posso apenas fazê-lo pensar. Nada deve ser preferido à justiça. Beleza é uma tirania de vida curta. Seja o que você deseja parecer. É mais rico aquele que se contenta com o mínimo, porque o contentamento é a riqueza da natureza. Para encontrar a si mesmo pense por si mesmo. Tu deves comer para viver, não viveres para comer. Há apenas um bem, o conhecimento; e um mal, a ignorância. Não sou um ateniense ou um grego, mas um cidadão do mundo”. (Sócrates – 469-400 a.C.)

TABAGISMO...

TABAGISMO
Por: Jorge Schemes

“70% dos fumantes não acreditam que possam sofrer um infarto. 60% deles não acreditam que possam ter um câncer”!
Estatísticas:
· 16 bilhões de cigarros são consumidos por dia no mundo. Ao ano são 5 trilhões.
· 8 mil pessoas morrem por dia no mundo com câncer no pulmão devido ao cigarro.
· Atualmente 4 pessoas morrem por minuto no mundo. São 3,5 milhões por ano, segundo a OMS o cigarro provoca mais mortes do que as causadas pela AIDS, cocaína, heroína, álcool, suicídio e acidentes de trânsito, somadas.
· Segundo a OMS em 2.030 o cigarro matará 10 milhões de pessoas por ano ao redor do mundo.
· Há cerca de 1,5 bilhão de fumantes no mundo, ou seja, de cada 4 habitantes um é fumante. Uma epidemia mundial de acordo com a OMS.
· Cerca de 20% da população brasileira é fumante, em torno de 38 milhões de brasileiros.
· O cigarro provoca a morte de 200 mil pessoas por ano no Brasil; 16.667 vidas por mês; 556 pessoas por dia; 23 seres humanos por hora.
· Segundo o Doutor Linus Pauling (Nobel de Química), cada cigarro fumado encurta a vida em 14 minutos. Assim, fumantes que morreram entre 35 e 69 anos perderam em média 22 anos de vida.
· Até 2.025 morrerão 500 milhões de pessoas ao redor do mundo por causa do cigarro, destes, 200 milhões serão jovens que começaram a fumar na década de 90.
· Estes dados comprovam que o cigarro é a principal causa de morte evitável no mundo.

O que é o cigarro?
· Cada cigarro contém cerca de 4.800 substâncias tóxicas.
· Destas, 80 são cancerígenas, dentre elas: alcatrão, níquel, arsênio, cádmio, etc.
· Contém também: agrotóxicos (DDT); O Polônio 210 que é altamente radioativo causando alterações genéticas. Por exemplo, quem fuma um maço por dia equivale a receber uma carga radioativa nos pulmões de uma carga de raios-X diária.
· Acetona: usado como removedor de esmalte; Formol: conservante de cadáver; Amônia: tipo de desinfetante. Naftalina: mata-baratas; Fósforo P4/P6: usado em veneno de ratos.
· Nicotina: demora cerca de 8 segundos para atingir o cérebro. É uma droga psicoativa, pois prolonga a ação da Dopamina (hormônio).
· A Nicotina força o coração a bater 10 mil vezes a mais por dia. A Nicotina estimula a glândula supra-renal a produzir mais adrenalina. Quem fuma tem duas vezes mais chance de ter um infarto. Mulheres que fumam e usam a pílula anticoncepcional têm oito vezes mais chances de sofrer um AVC - Acidente Vascular Cerebral.
· Quem fuma um maço por dia, dando cerca de 10 tragadas por cigarro, sofrerá 73 mil impactos de nicotina no cérebro por ano.
· Em 10 anos serão quase um milhão de impactos e sensações, superando todas as drogas.
· A OMS classificou a Nicotina como um problema de saúde mental.
· O Monóxido de Carbono reduz o transporte de oxigênio para os tecidos vitais, cerca de 4% da fumaça do cigarro é CO.
· Enquanto a descarga de um carro tem entre 30 e 80 PPM (Partes Por Milhão), a fumaça do cigarro tem entre 20 a 40 PPM.
· A fumaça do cigarro está dividida em fumaça primária, aquela que é tragada e por isso esquentada, aquecida e filtrada; e a fumaça secundária, aquela que é o resultado da queima direta do cigarro, essa é a mais tóxica e prejudicial.
· Fumantes passivos: as estatísticas mundiais apontam que há mais de 2 bilhões de fumantes passivos no mundo.
· A UFRS fez uma experiência. Deixou um cigarro queimando num quarto de 30 metros cúbicos. O resultado foi que a poluição ambiental era 3 vezes maior que a de Cubatão nos seus piores dias. Permanecer uma hora dentro de uma danceteria equivale a um cigarro fumado.
· Permanecer 8 horas no trabalho com quem fuma, equivale a fumar 10 cigarros sem filtro.
· Mulheres que não fumam, mas são casadas com fumantes, têm aumentado em 30% as chances de ter um câncer de pulmão.
Efeitos no organismo:
· Há mais de 60 mil trabalhos científicos provando que o cigarro faz mal á saúde dos seres humanos que fumam e os que são fumantes passivos.
· A Amônia e o Ácido Hidrociânico paralisam as Ciliotoxinas (cílios pulmonares), irritam os olhos, o nariz e a garganta.
· O cigarro é responsável por:
· 50% dos derrames, além disso provoca dores de cabeça, depressão e insônia.
· 30% dos casos de câncer na boca, além de causar mau hálito e diminuição do paladar.
· 80% dos casos de câncer na Laringe e Faringe.
· 80% dos casos de câncer nos Pulmões, além de causar enfisema pulmonar e gripes.
· 30% dos casos de câncer no Estômago, Esôfago e Pâncreas, além de provocar úlceras e gastrites.
· 30% dos casos de câncer na bexiga e rins.
· O cigarro também provoca Tromboses, AVC (derrame), rugas e celulites e envelhecimento precoce.
· 50% dos fumantes masculinos sofrem de impotência causada pelo cigarro.
· 20% dos casos de câncer no útero, além de provocar abortos e contribuir para o nascimento de bebês com baixo peso, prematuros e com deficiência mental.
· O cigarro também atinge os olhos, a voz, os ouvidos, as mãos e os cabelos dos fumantes. Provoca rouquidão, redução na capacidade visual, catarata, diminuição do olfato e do paladar, mãos frias e cabelos opacos, e o risco de surdez é aumentado.

Fumo, sociedade e família:
· As Leis antitabágicas são cada vez mais rigorosas, afetando a vida social e profissional de quem fuma.
· O fumante é considerado um cidadão de segunda categoria.
· Homens fumantes podem estar contribuindo para causar males em seus filhos, netos e até bisnetos. O bioquímico americano Bruce Ames, da Universidade da Carolina do Norte nos EUA, pesquisou 15 mil crianças filhos de fumantes que fumavam mais de 20 cigarros por dia e descobriu que elas tinham duas vezes mais chances de nascer com defeitos e problemas cardíacos que os filhos de não fumantes.
· O Instituto Nacional de Saúde Ambiental pesquisou 220 crianças com menos de 14 anos que tinham câncer. Foi constatado que os casos com leucemia e câncer linfático eram mais comuns em filhos de pais fumantes e que os casos de câncer no cérebro eram 40% mais comuns. O estudo constatou que os efeitos do uso do cigarro não afetam apenas os pais fumantes, mas afetam o DNA de seus descendentes podendo atingir até os bisnetos.
· Pesquisas revelam que o hábito de fumar é visual, ou seja, o visual dos gestos de fumar causa uma sedução visual e leva a uma indução ao hábito de fumar. Estudos feitos entre dois grupos de cegos confirmaram esta tese; no primeiro grupo, composto de cegos de nascença, apenas 16% eram fumantes, enquanto no segundo grupo, composto por pessoas que ficaram cegas no decorrer da vida, 56% eram fumantes. Essa diferença se deve ao fato de que o segundo grupo foi influenciado por propagandas e pessoas fumantes. Assim, não são apenas as crianças que começam a fumar ao verem os adultos fumantes, mas as pessoas de um modo geral.
· Os adolescentes começam a fumar devido a vários fatores:
- Curiosidade: 62,3%.
- Imitar pais ou colegas: 26,5%.
- Os garotos fumam para a auto-afirmação de sua masculinidade.
- As garotas fumam para emagrecer.

Fumo engorda jovens de 16 a 24 anos, diz pesquisa:
A crença de que o fumo emagrece resistiu a 50 anos de pesquisas, mas não vale para todos. Um estudo da Universidade de Glasgow, na Escócia, mostrou que essa regra não se aplica para quem tem de 16 a 24 anos. Pesquisa feita com mil jovens nessa faixa etária concluiu que os fumantes dessa idade têm predisposição para ganhar peso ou se tornar obeso, quando comparados aos que não fumam. A tendência é maior entre as mulheres. O estudo examinou o IMC (índice de massa muscular) de 9.047 pessoas entre 16 e 74 anos. A cardiologista Jaqueline Scholz Issa, do Incor (Instituto do Coração) do Hospital das Clínicas, diz que a conclusão da pesquisa é "uma grande novidade": "Não havia estudo mostrando que a fumante pode ganhar mais peso do que o não-fumante", diz. Um dos autores da pesquisa, o nutricionista Mike Lean, da Universidade de Glasgow, diz que a interação entre fumo, gordura e hormônios pode explicar por que as jovens ganham peso ao fumar. A hipótese de que o ganho de peso poderia ser resultado do consumo de bebida alcoólica ou da falta de exercícios não foi comprovada na pesquisa, diz o nutricionista. Mesmo quando esses fatores são ponderados, a diferença entre fumantes e não-fumantes é "significante". Para Lean, a única forma segura de perder peso é comer menos e fazer mais exercícios. Para a cardiologista Jaqueline Scholz Issa, a pesquisa pode ter captado um viés: o de que garotas gordas comecem a fumar para emagrecer. O problema do estudo, segundo a cardiologista, é que não dá para entender por que o fumo provocaria aumento de peso até os 24 anos e após essa idade tem efeito contrário. Com 25 anos, 1m72 e 65 quilos, a produtora de vídeos mineira Camila Andrietta diz que não deixa o cigarro por temer ganhar alguns quilinhos a mais. "Prefiro ser uma fumante magra que uma saudável gorda", resume. Camila, que fuma desde os 17 anos, já tentou parar cinco vezes e desistiu porque engordou muito. "Na última vez, há três anos, ganhei cinco quilos em dois meses”.Quando sente fome, ela diz que fuma um cigarro atrás do outro e fica saciada. (FSP)

Estudo da Universidade de Glasgow, na Escócia, detectou a tendência na faixa de 16 a 24 anos; mulheres são mais afetadas.

Fonte: Folha de São Paulo.

Uma das crenças sobre o cigarro que resistiu incólume a 50 anos de pesquisas, a de que o fumo emagrece, não vale para todos. Um estudo conduzido pela Universidade de Glasgow, na Escócia, mostrou que essa regra tem uma exceção: não vale para aqueles que têm entre 16 e 24 anos. Um levantamento feito com mil jovens nessa faixa etária concluiu que os fumantes têm uma predisposição maior para ganhar peso ou se tornar obesos quando comparados àqueles que não fumam. A tendência é maior entre as mulheres. A cardiologista Jaqueline Scholz Issa, do Incor (Instituto do Coração) do Hospital das Clínicas de São Paulo, diz que a conclusão da pesquisa é ''uma grande novidade'' médica: ''Não havia estudo mostrando que o fumante pode ganhar mais peso do que o não-fumante'', afirma ela. Um dos autores da pesquisa, o nutricionista Mike Lean, do departamento de nutrição humana da Universidade de Glasgow, diz que a interação entre fumo, gordura e hormônios pode explicar por que as jovens ganham peso ao fumar. Outra explicação, segundo ele, é que jovens têm uma predisposição maior para desenvolver uma flacidez no diafragma em conseqüência do fumo. O dano muscular, segundo o pesquisador, reduz a capacidade de queimar gorduras. A flacidez do diafragma atinge mais o sexo feminino: enquanto 25% das meninas de 15 anos têm esse dano muscular, nos meninos da mesma idade o índice cai para 14%. O estudo, publicado no ''International Journal of Obesity'', examinou o IMC (índice de massa muscular) de 9.047 pessoas entre 16 e 74 anos, que haviam sido examinadas pela Pesquisa Escocesa de Saúde em 1998. O IMC é calculado dividindo-se o peso (em quilos) pela altura elevada ao quadrado (em metro). Os índices entre 25 e 29,9 indicam sobrepeso; acima de 30 apontam obesidade. Além do IMC, o levantamento mediu o quadril e a cintura dos pesquisados. O resultado mostrou, ainda de acordo com Lean, que os jovens de 16 a 24 anos de ambos os sexos têm uma tendência de ser mais pesados do que o grupo de não-fumantes. Há outros índices que apontam ganho de peso. A cintura das adolescentes fumantes cresce mais rapidamente do que a das não-fumantes. Em metade das adolescentes, o índice de massa corporal era acima de 25, o que indica sobrepeso ou obesidade. A descarga de hormônio que ocorre nessa faixa etária provoca aumento de peso em adolescentes, segundo Lean. A gordura no abdômen enche o sistema circulatório com massa gordurosa e hormônios. Essa combinação é inflamatória para os tecidos. A hipótese de que o ganho de peso poderia ser resultado do consumo de bebida alcoólica ou de falta de exercícios não foi comprovada na pesquisa, afirma o nutricionista. Mesmo quando esses fatores são ponderados, a diferença entre fumantes e não-fumantes é ''significante''. Para Lean, a única forma segura de perder peso é comer menos e fazer mais exercícios. Surpresa - A chefe da divisão de Controle do Tabagismo do Inca (Instituto Nacional do Câncer), Tânia Cavalcante, diz que o resultado da pesquisa é uma surpresa porque imperava a idéia generalizada de que o cigarro emagrece porque queima mais lipídios ao acelerar o metabolismo e porque o paladar do fumante faz com que ele coma menos. Para ela, a pesquisa pode minar um dos últimos nichos da indústria do cigarro: a associação entre fumo e mulheres esbeltas. A cardiologista Jaqueline Scholz Issa diz que a hipótese do estudo, de que a interação entre fumo e hormônios pode levar a aumento de peso, faz sentido. Já se sabia, diz ela, que o fumo tem uma interferência metabólica ''fenomenal'': o cigarro eleva a resistência à insulina e provoca aumento da gordura visceral. O fumo também reduz a produção de HDL, o colesterol protetor. É por causa dessa combinação (menos HDL e mais gordura visceral) que o fumante corre mais risco de sofrer doenças cardíacas. Tudo isso, no entanto, não invalida a hipótese de que a pesquisa pode ter captado um viés: o de que as garotas gordas comecem a fumar para emagrecer, diz Jaqueline. O problema do estudo, de acordo com a cardiologista, é que não dá para entender por que o fumo provocaria aumento de peso até os 24 anos e depois dessa idade tem um efeito contrário. Só novas pesquisas podem acabar com essas dúvidas, de acordo com Jaqueline. Não havia estudo mostrando que o fumante pode ganhar mais peso do que o não-fumante’’.

Jorge Schemes
Autor do Livro: "O que você precisa saber e fazer para deixar de fumar".
Técnico Pedagógico na GEECT - Gerência da Educação, Ciência e Tecnologia.
Professor de Filosofia da Educação na FEJ - Faculdade de Educação de Joinville - ACE.
Bacharel em Teologia Línguas Bíblicas - Grego e Hebraico.
Licenciado em Pedagogia com Habilitação em Administração Escolar.
Pós-graduado em Interdisciplinaridade e Metodologia do Ensino Superior.
Pós-graduado em Psicopedagogia Clínica e Institucional.
Licenciado em Ciências da Religião pela FURB.

quarta-feira, 4 de maio de 2005

A TEVÊ COMO TÓTEM...

O TÓTEM PÓS-MODERNO
Por: Jorge Schemes
http://geocities.yahoo.com.br/edu_midia/edu_midia.html

A tevê é a grande mãe moderna. Ela é mais do que isso, é o Tótem pós-moderno. Tótens eram imagens esculpidas onde os povos primitivos colocavam suas oferendas. Hoje, esse ritual é realizado na frente da TV. A televisão como mãe substitui a função materna. Ela é a referência da criança pós-moderna e é bem vinda, pois a TV não briga e não controla, mas pode ser controlada, está sempre à disposição como lugar de refúgio para as crises e tristezas de crianças sem-colo. Há uma certa serenidade e passividade diante desta mãe eletrônica. Porém a tevê como objeto de veneração ou Tótem apresenta algumas exigências. A primeira é de identificação, ao apresentar a moda, os valores e as gírias que crianças e adolescentes gostam e desejam; a segunda é a exigência do sacrifício diante dela, como um bom Tótem pós-moderno exige tempo e compromissos; a terceira é a decisão, o movimento do poder da vontade que governa a natureza humana, decisão fundamentada no consumo e no capital ao apresentar as ofertas de produtos em comerciais e propagandas; a quarta é o compromisso religioso de “re-ligar” o eu com a própria tevê como Tótem; a quinta é a própria exigência e proibição, ao alterar atividades e rotinas fundamentais para um bom desenvolvimento biopsicosocial, afinal o Tótem exige de seus adoradores silêncio, entrega e comprometimento; a sexta exigência é a troca da família pela TV, afinal o Tótem também é considerado membro da família pós-moderna
Vejamos algumas implicações do Tótem pós-moderno. A tevê comprovadamente influencia aos poucos. As cenas de tomadas nos anos 60’ demoravam em média 15 segundos, hoje, demoram entre 3 a 4 segundos. A “informação” é apresentada rapidamente e de forma fragmentada, pois se fosse lenta teríamos mais facilidade de análise e crítica. Não se pode negar portanto que de fato há uma fundamentação ideológica nesse dinamismo. As propagandas apresentam o supérfluo como essencial. São elaboradas seguindo criteriosas técnicas de produção para prender a atenção dos telespectadores. A música é pensada cuidadosamente para mexer com as emoções e destronar a razão. O ambiente, os detalhes todos são estudados tendo como fundamento a psicologia moderna da comunicação. Os valores não são importantes, há uma exaltação da violência e uma banalização do sexo. Os contravalores, a desmoralização da família e o individualismo selvagem e nada solidário é incentivado e estimulado em suas mensagens.
A ênfase exagerada e muitas vezes distorcida em questões sexuais, as quais a criança e o adolescente ainda não estão prontos para analisar em profundidade, faz parte de sua programação diária. Ideologias são incutidas em mentes não pensantes, em mentes alienadas. Não é por acaso que a tevê é considerado por muitos comunicólogos como sendo um 4º poder. O que não ocorre de fato é um feedback entre o emissor e o receptor nesse processo. Contudo, a reação da sociedade, quando manifestada, pode inverter alguns aspectos no que diz respeito a qualidade da programação. Políticos, empresários (anunciantes) e emissoras de tevê podem ser questionados pela sociedade civil organizada em fóruns. O público pode boicotar aquilo que julga inadequado nas apresentações e programações. Esse boicote acompanhado de manifestos de repudia a má programação pode acabar democratizando as informações veiculadas na mídia televisa. Essa atitude pode até mesmo forçar o Governo a alterar a ordem de prioridades na lei de concessão, a qual preconiza os seguintes critérios: 1º) O nível da programação, ou seja, sua relevância cultural e educacional; 2º) Leilão, ou seja, quem paga mais, leva. Sendo assim, essa atitude crítica da sociedade pode dar mais relevância para os aspectos conteudistas do que para os aspectos financeiros.
Com relação ao papel da tevê como a grande mãe dos sem-colo, e seu papel como o Tótem de veneração cognitiva e afetiva da grande massa, vale lembrar que ela jamais poderá substituir a afetividade, o carinho e o amor demonstrados a essas crianças por seus pais ou responsáveis.

Jorge N. N. Schemes - E-mail: jorgeschemes@yahoo.com.br
Técnico pedagógico na GEECT - Gerência da Educação, Ciência e Tecnologia.
Professor de Filosofia da Educação na FEJ - Faculdade de Educação de Joinville.
Bacharel em Teologia Línguas Bíblicas - Grego e Hebraico.
Licenciado em Pedagogia com Habilitação em Administração Escolar.
Pós-graduado em Interdisciplinaridade e Metodologia do Ensino Superior.
Pós-graduado em Psicopedagogia Clínica e Institucional.
Licenciado em Ciências da Religião pela FURB.

Pesquisa personalizada

Mais Postagens: