Pesquisar no Google:

Pesquisa Personalizada

Estude a Palavra de Deus Agora!

Estude a Palavra de Deus Agora!
Cursos e Estudos Bíblicos Gratuítos
Pesquisa personalizada

Postagens Populares:

Pesquisar no Blog:

segunda-feira, 4 de junho de 2007

AQUECIMENTO GLOBAL: DERRETIMENTO DE GELEIRAS AFETARÁ 40% DA POPULAÇÃO DO PLANETA - Clique aqui para saber mais.



Ambiente:
Degelo pode afetar 40% da população mundial!

O que ocorre nas regiões geladas do Planeta pode ter reflexo direto na vida das pessoas, indica um novo relatório.

O derretimento das calotas polares, geleiras e da cobertura de neve de montanhas poderá afetar até 40% da população mundial, ao provocar a elevação do nível dos mares, enchentes e redução no suprimento de água potável e para irrigação, diz relatório das Nações Unidas divulgado ontem. Oestudo, realizado por cerca de 70 cientistas, veio a público na véspera do Dia Mundial do Meio Ambiente, que será celebrado hoje, e põe em evidência, ainda, o risco de a perda das geleiras vir a acelerar o aquecimento global, já que as coberturas de gelo ajudam a resfriar o Planeta, ao refletir a luz do Sol de volta para o espaço. A despeito do fato de boa parte do gelo estar localizada em áreas remotas, como os pólos ou picos elevados, o impacto será sentido em escala mundial, disse o diretor-executivo do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), Achim Steiner. - O relatório destaca que o destino dos locais gelados do mundo, em um planeta que enfrenta desafios climáticos, deveria causar preocupação em cada ministério, diretoria e sala de estar do mundo - disse. O trabalho foi divulgado na cidade de Tromsoe, no ártico norueguês, que sedia a principal celebração do Dia Mundial do Meio Ambiente, sob o tema "Gelo derretendo - um assunto quente?". O texto tem como base uma série de relatórios do painel Intergovernamental para a mudança Climática (IPCC), lançados ao longo deste ano. O relatório, intitulado Perspectiva Global para Neve e Gelo, afirma que as temperaturas elevadas poderão aumentar o nível dos mares entre 20 e 80 centímetros, ainda neste século, o que poderá inundar áreas costeiras e forçar milhões de pessoas a fugir de suas casas. Mesmo pessoas que moram longe do litoral poderão sentir o impacto, como o 1,5 bilhão de habitantes que, principalmente na Ásia, dependem do derretimento sazonal de geleiras para obter água potável. No Hemisfério Norte, a cobertura de neve nos meses de março e abril caiu de 7% a 10% nas últimas quatro décadas, diz o relatório. O texto afirma que, nos últimos 30 anos, a extensão de gelo sobre o mar caiu de 6% a 7% no Inverno e de 10% a 12% do Verão, enquanto que a espessura do gelo caiu pelo menos de 10% a 15%. Segundo a informação científica já disponível, o Ártico está se aquecendo a uma velocidade quase duas vezes maior da do resto do mundo. Em muitos locais, as regiões montanhosas também estão registrando aumentos de temperaturas maiores que nos terrenos de baixa altitude. - A cobertura de gelo no Oceano Ártico está diminuindo 8,9% por década no Verão. É possível que, até 2100, tenhamos um Ártico completamente sem gelo nessa estação - afirmou Lambrechts. O documento confirma a tendência de redução do tamanho das geleiras do mundo registrada nos últimos anos, principalmente desde os anos 1980.

Ursos polares são arrastados em geleiras que se desprenderam do Ártico, região que aquece a uma velocidade duas vezes mais rápida que a do mundo todo.
Foto(s): Dan Crosbie, AP, Banco de Dados/DC - Fevereiro/07

Aquecimento global é três vezes maior:

O aumento do aquecimento global está três vezes mais acelerado do que o previsto, revelou uma série de respeitados estudos. Segundo o jornal britânico Independent, as pesquisas - publicadas pela Academia Nacional de Ciências dos EUA e pela Universidade da Califórnia - indicam que a velocidade de aumento das emissões de dióxido de carbono é o triplo da registrada nos anos 1990. A taxa é maior que o pior dos cenários desenhados neste ano nos relatórios do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês). O estudo da Academia Nacional de Ciências mostra que as emissões de CO2 crescem numa taxa de 3% ao ano nesta década, enquanto nos anos 1990 o índice era de 1,01%. Os dados sugerem que as previsões do IPCC sobre a destruição de colheitas, a redução de recursos hídricos, o derretimento de gelo e a extinção de espécies podem estar atenuando os problemas que realmente ameaçam o mundo.

2 comentários:

Olhos de Um Mundo Novo disse...

oi!!Td bem ,muito prazer Edgar.
Adorei seu blog e tomei a liberdade de pegar parte da sua postagem e postar no meu blog com todos os seus creditos é claro...gostaria muito de fechar uma parceria para trocoa de informações e mto mais por igualdades de assuntos comentados no mesmo!!
http://planetaabandonado.blogspot.com/
Esse é o link do meu blog adoraria ter sua opinião no mural...
Amplexos Libertários
Edgar Monteiro

Anônimo disse...

Já tenho meu trabalho de escola prontinho ;)

Pesquisa personalizada

Mais Postagens: